Thomas Pynchon, the Dude


Só eu não tinha visto o trailer do livro Vício Inerente, narrado pelo Thomas Pynchon, né? Tudo bem, não tenho pudor em ser a última a postar. Ao menos posso usar como desculpa para tocar no assunto a info de que o livro sairá ainda neste semestre pela Companhia das Letras. Mas também tenho considerações a fazer.

Achei curiosa a forma como foi feita a divulgação. A Penguin pôs o vídeo no ar em agosto sem revelar o narrador, e logo correu na rede a versão de que era o escritor – o poder da dúvida como arma de marketing. Confesso que, comparando com a voz dele no episódio dos Simpsons do qual participa, achei bem pouco parecido, tirando uma certa rouquidão lá no fundo.

.

Daí, na época, blog Speakeasy, do Wall Street Journal, resolveu tirar a história a limpo e chamou um especialista para comparar as vozes dos dois vídeos e a deste clipe alemão. A conclusão: “É um estilo bem único de entonação, muito pra cima e pra baixo. Ele atinge esses pontos acentuados a cada par de palavras. Com um grau razoável de certeza profissional, acredito que essas vozes são da mesma pessoa”. Só então, “desmascarada”, a editora admitiu que o narrador era o Thomas Pynchon.

Tá certo, se a Penguin disse, está dito. Mas, depois de ouvir várias vezes cada um dos clipes, tendo mais a concordar com quem argumenta que a voz do Doc, no trailer, parece mesmo é com a do Dude..

Anúncios

7 Respostas

  1. Oi, Raquel. Como fãzaço do Pynchon, li Inherent Vice logo que saiu… e nossa, que livrinho meia-boca! É bastante na linha de Vineland, ou seja, um livro mais low-brow, sem grandes ambições. Pode ser divertido, mas na minha opinião o Pynchon funciona melhor quando megalomaníaco!

    Eu ouvi rumores que o Against the Day também sairia esse ano pela Cia. Não sei se adiaram. Aquele sim é meu favorito de toda carreira do Pynchon.

  2. Quanto à entonação igual ao THE DUDE, bom, tem um motivo, hehe. O narrador do Inherent Vice é um The Dude da vida! Exceto que ele tem um propósito, é um detetive. O detetive mais maconheiro e desligado da galáxia, mas um detetive.

  3. O blog ta muito bom, Raquel! beijos

  4. […] nas categorias melhor performance de um escritor e melhor atuação, já apareceram aqui no blog: Vício Inerente, do Thomas Pynchon (considerando a performance dele só na narração, é claro), e Lowboy, do John […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: