No Sabático de 15/5


O repórter especial Antonio Gonçalves Filho volta com tudo das férias com dois destaques desta edição do Sabático, uma entrevista exclusiva com o Alfredo Bosi sobre Ideologia e Contraideologia, que sai pela Companhia das Letras, e uma conversa com Charles Cosac para a reportagem sobre Maria Martins, cuja obra é revista em Maria, da Cosac Naify. Mas, como faz parte disto aqui vender o próprio peixe, ou puxar sardinha pro próprio lado, qualquer uma dessas expressões aquáticas, segue a coluna Babel da semana.

***

BABEL

Raquel Cozer – O Estado de S.Paulo

Investigação de maior furto do País contada em livro

A roteirista Carolina Kotscho, de 2 Filhos de Francisco, escreve para a editora Leya um livro sobre o maior furto já ocorrido no Brasil – a retirada, em 2005, de R$ 164,8 milhões do cofre da agência do Banco Central em Fortaleza. Convidada em 2008 a roteirizar um filme (que nunca saiu do papel) sobre o tema, ela conheceu Antonio Celso dos Santos, delegado responsável pelas investigações. Recebeu dele 20 caixas de material, incluindo até anotações em guardanapos. De lá saíram histórias pitorescas como a do dia em que, para prender um dos bandidos, a Polícia Federal alugou um caminhão e disfarçou 30 agentes de boias-frias. A ideia era parar na frente da casa do foragido durante a madrugada sem causar alarde na vizinhança, só que um jegue relinchou alto ao estranhar o barulho e frustrou os planos. A rede em que o bandido dormia, anotou Santos, ainda estava quente quando a PF entrou na casa, mas o homem tinha escapado. Previsto para sair em 2011, o livro contará histórias reais como essa com narrativa ficcional.

ACERVO
As caixas do matemático

Após anos de indefinição, o acervo de Malba Tahan – pseudônimo com o qual o matemático carioca Julio Cesar de Melo e Souza (1895- 1974) assinou obras como O Homem Que Calculava – encontrou abrigo na Unicamp. As 14 caixas com textos, fotos e objetos haviam sido doadas em 1985 pela família à cidade de Queluz, onde Tahan foi criado, mas nem foram abertas. Família e prefeitura decidiram oferecê-las à universidade, onde ficará disponível ao público.

EVENTO
Novo festival de quadrinhos

A Casa 21 prepara para novembro o festival de quadrinhos Rio Comicon 2010. Responsável por grandes eventos do gênero, como o Festival Internacional de Quadrinhos (FIQ), em Belo Horizonte, a editora busca agora novo formato. Enquanto o FIQ é voltado ao mercado, o evento carioca focará na formação de público, com debates e oficinas, e pretende reunir nomes de peso.

INDEPENDENTE 1
Títulos em espanhol

Lançada em janeiro com a promessa de garimpar joias da literatura contemporânea, a Tinta Negra acaba de adquirir os direitos de dois títulos do galego Manuel Rivas (foto). Los Libros Arden Mal, Prêmio Livro do Ano de 2006 na Espanha, sai este ano. Em 2011, será a vez de ¿Qué me Quieres, Amor?, em cujos contos se baseou o filme vencedor do Goya de roteiro de 2000, A Língua das Mariposas.

INDEPENDENTE 2
Efeito zumbi

A pequena Quirk Books, presente nas listas de best-sellers nos EUA desde que passou a lançar títulos como Orgulho e Preconceito e Zumbis, fechou acordo de vendas e distribuição com a gigante Random House, válido a partir de 2011. Especializada em livros de gênero “irreference” (misto de irreverência e referência, em inglês), a QB foi citada pela revista Publishers Weekly como a “pequena editora de crescimento mais rápido de 2009”. A empresa que distribuía seus livros desde 2002 não deu conta do recado.

*

No Brasil, onde saiu há quase dois meses, pela Intrínseca, Orgulho e Preconceito e Zumbis ainda não emplacou entre os mais vendidos. Das 20 mil cópias da primeira tiragem, foram vendidas 5 mil até o momento.

BEST-SELLER
Metamorfoses no além

A Planeta comprou os direitos de Maldito Karma, de David Safier, que virou best-seller na Europa, com 1 milhão de cópias vendidas só na Alemanha, contando uma história inusitada. Na trama, uma mulher morre e volta ao mundo como formiga – e, em vidas seguintes, como rato, gato e cachorro, sempre na casa onde vive sua família original.

LAÇOS
Encontro luso-brasileiro

Vencedor do Prêmio Portugal Telecom de 2009, Nuno Ramos terá a orelha de seu próximo título, O Mau Vidraceiro (Globo Livros), assinado por outro finalista do ano passado, o português Gonçalo M. Tavares. Para a organização, esse é um fruto bem-sucedido da meta de aproximar a produção literária dos países de língua portuguesa. Nuno estará hoje no Real Gabinete Português, no Rio, no evento que anunciará os 50 semifinalistas deste ano.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: