Escrever ou não escrever

Mais cedo vi no Blue Bus um link para o Write or Die, uma espécie de site motivacional terrorista para escritores, e achei que seria interessante escrever um post  no próprio site para experimentá-lo, só para chegar em casa e descobrir que o Prosa & Verso fez isso muito antes. Então testei mesmo apenas digitando “trololololó”, o  assunto do dia, para ver o que acontecia.

A página inicial dá opções do modo de pressão ideal para entregar o texto a tempo. É meio frustrante porque o Choque Elétrico, modo mais recomendado para casos de bloqueio agudo, não pode ser selecionado. Decidi pelo Kamikaze + Evil, que só fazia a tela, a princípio branca, ficar vermelha a cada interrupção, além de apagar trechos. Menos irritante que o modo Gentle, que avisava a cada dez segundos “You stopped writing! Keep writing!”, e que o Normal, que acabou com a brincadeira de vez ao mandar ver num Never Gonna Give You Up assim que parei de digitar.

No fim, não tem truque, é se conformar. Se não dá para escrever um livro numa semana, como o Cony, ao menos conforta saber que autores como Hemingway e Nabokov reescreviam sem cessar até chegar ao que queriam, o que eu definiria como uma espécie de bloqueio criativo com vazão produtiva. E, claro, mil outros escritores que sofrem disso, mas me deu bloqueio de memória para citar algum.

Pior mesmo é ter bloqueio para escrever o forro da gaiola do dia seguinte.

(O escritor em pânico peguei daqui, indicação do Juliano Barreto no Google Reader).

Anúncios